Fundos para investigação em concentração solar em Évora disponibilizados “a curto prazo”

Os fundos europeus regionais que vão apoiar a investigação de concentração solar em Évora vão ser disponibilizados a “curto prazo”.

A garantia foi dada hoje pelo presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional (CCDR) do Alentejo, Roberto Pereira Grilo, na sessão de abertura do 3º Simpósio do Instituto Português da Energia Solar (IPES): “A Concentração solar e o futuro”, que decorre esta segunda e terça-feira, em Évora.

O presidente da CCDR, autoridade de gestão do Programa Operacional Regional Alentejo 2020, lembra que a CCDR e o Alentejo 2020 “consagraram na sua estratégia cinco grandes áreas, entre as quais se encontra a energia”.

O INIESC (Infra-Estrutura Nacional de Investigação para Energia Solar de Concentração), uma parceria entre a Universidade de Évora e o LNEG (Laboratório Nacional de Energia e Geologia), já está validado pela Fundação para a Ciência e Tecnologia, mas verá agora aberta uma candidatura para obter financiamento no âmbito do programa operacional.

O montante global para os próximos três anos ultrapassa os três milhões de euros e envolve duas dezenas de pessoas do LNEG e Universidade de Évora. O IPES será o gestor dos fundos no INIESC, avança ao Ambiente Online o presidente do IPES, Manuel Collares Pereira. “O projecto HPS-2 [Évora Molten Salt Plataform] é um dos primeiros projectos que vem para a infra-estrutura”, adianta. Outro dos projectos a implementar em Évora é uma plataforma de ensaio de concentradores solares.

In ambiente online

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.