Quercus considera que novo aeroporto em Alcochete ameaça fortemente o ambiente

A organização ambientalista Quercus considera que a construção de um novo aeroporto em Alcochete “ameaça fortemente o ambiente e os valores naturais”, e diz aguardar o estudo de impacto ambiental sobre o Montijo.

A organização dedicou o mês de setembro à investigação do tema do novo aeroporto de Lisboa, concluindo que as duas opções (reconversão da Base Aérea do Montijo ou construção no Campo de Tiro de Alcochete) apresentam riscos ambientais.

A organização afirma que a construção do aeroporto no campo de tiro de Alcochete representa uma “forte ameaça” para o valor ecológico da área, onde existem 147 espécies autóctones, e critica a falta de estudos sobre o impacto de um novo aeroporto no movimento das aves.

Os ambientalistas alertam também para os riscos sísmicos e dizem que o movimento das aves não foi estudado e como tal estão por avaliar os riscos para os aviões. Para além disso, existem outros riscos ambientais no que diz respeito a “emissões de ruído, emissões de poluentes gasosos, destruição e/ou degradação de habitats naturais e semi-naturais, intrusão na paisagem natural, ordenamento do território, ou mesmo interferências na qualidade da água”.

Em relação ao aeroporto no Montijo a organização diz não poder emitir um parecer por falta de documentação pública disponível, nomeadamente um estudo de impacto ambiental.

Artigo adaptado de uma notícia publicada no Diário de Notícias a 28 de Setembro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.